sábado, 11 de maio de 2013

Governo americano exige retirada de programa que imprime armas plásticas em 3D.


Arquivo foi copiado da internet mais de cem mil vezes em dois dias, antes de ser proibido. Brasil foi o terceiro país que mais baixou o programa. 

O governo americano mandou tirar da internet um programa que permite a impressão em três dimensões de armas de fogo feitas de plástico. Para o governo, o programa viola as leis de exportação de armas. 

O arquivo foi copiado da internet mais de cem mil vezes em dois dias, antes de ser proibido. Segundo o site responsável, oBrasil foi o terceiro país que mais baixou o programa, atrás de Espanha e Estados Unidos. 

A arma chamada de liberator - libertador, em português - ainda é rudimentar, sem muita precisão. Dispara apenas uma bala. Mas o protótipo exibido na internet tornou realidade o que muitos temiam: o uso de impressoras 3D para produzir armas de fogo que passam livremente por detectores de metal. 


A pistola tem 16 peças de plástico e um prego de metal pequeno, que funciona como disparador. Para fazer a arma foi preciso usar uma impressora sofisticada. 

Mas o criador da arma, Cubby Wilson, diz que vai entregar em breve um modelo semelhante para impressoras básicas, que poderiam ser montadas por menos de R$ 2 mil. Cubby Wilson fez uma promessa: onde houver um computador e uma conexão com a internet, será possível fazer uma arma de fogo. 


Em resposta, um senador de Nova York anunciou que vai apresentar um projeto para proibir a produção de armas de plástico, que, ele teme, caiam nas mãos de criminosos e terroristas. 

Fonte: G1

Sem comentários:

Publicar um comentário