quarta-feira, 12 de junho de 2013

Luiza Maia força barra por CPI e irrita até colega petista

A deputada estadual Luiza Maia (PT) segue em sua tentativa de emplacar uma CPI do tráfico de Pessoas na Assembleia Legislativa da Bahia e, nestes esforços, tem forçado barras e provocado a irritação até mesmo de seus colegas de partido. A atitude da deputada fez com que o correligionário Zé Neto declarasse estar “cansado” de Luiza Maia e a desafiasse a viabilizar a comissão de uma maneira objetiva.
 
O primeiro esta semana a receber o assédio intempestivo da mulher do ex-prefeito de Camaçari foi o presidente da Casa, Marcelo Nilo (PDT). A deputada deu um ultimato ao dirigente e disse que caso sua CPI não fosse instalada, mobilizaria suas bases femininas e faria barulho da mesma maneira como fez no ano passado, na época da aprovação do projeto da Lei Antibaixaria. Nilo contemporizou e prometeu resolver a situação esta semana.
 
Já Zé Neto foi obrigado a receber outros “tapas”, pois a deputada teria declarado que não confia no companheiro de partido. Neto é encarregado de indicar três nomes para integrar o grupo, o que não teria feito até hoje provocando a ira da parlamentar. Em resposta ao assédio da deputada, o petista declarou estar “cansado” da postura de Luiza Maia e que ela tem muito mais interesse em “holofotes” do que em qualidade de projetos, conteúdo pessoal e fazer política junto aos colegas de bancada.
 
“Estou cansado disso. Durante a greve de professores ela ficou contra o governo e disse que todo mundo era bandido e que só ela era a heroína. Ela quer sempre ficar fazendo média e, quando a situação fica contra ela, ela se esconde. Acho que a deputada devia ter mais conhecimento de projetos e falar objetivamente do conteúdo da CPI”, desabafou. O político feirense disse ainda que a deputada se irrita com a demora porque, com o fim da novela “Salve Jorge”, “perdeu uma grande oportunidade de ficar na mídia”.
 
Zé Neto alega ter tido “cuidado e prudência” de não estabelecer a CPI porque, acredita, não há fatos concretos, vítimas, locais e suspeitos de praticar tráfico de mulheres na Bahia. O petista desafiou a colega a seguir os passos práticos da instalação de uma CPI e alega ter lhe falado nestes termos ainda esta semana. O encarregado de receber este relatório é o líder do PT na Casa, deputado Rosemberg Pinto, uma vez que Zé Neto diz não ter mais paciência com a feminista.
 
“Não estou dizendo que sou contra a CPI. Eu sou totalmente a favor, desde que a deputada apresente os objetos de investigação. Quem foi? Onde está acontecendo, quem são os acusados, em quais cidades? Estamos perto de fazer uma CPI da Telefonia e, para isso, temos vários fatos. Quando é assim, a instalação ocorre de maneira natural. Não podemos é fazer uma CPI no vácuo”.

Fonte: Bocão News

Sem comentários:

Publicar um comentário